Onde correr no Rio: Paineiras

img_6022
Parte da vista ❤

Estava super parada de qualquer atividade física, exceto levantamento de copos e garfos #abafa. ¬¬ O incômodo era tanto que resolvi me inscrever logo na prova XC Run, uma corrida de aventura que rola dia 22 de outubro, lá em Búzios para ver se me estimulava a voltar aos treinos.

Por enquanto tem dado certo: #oremos! Até porque funciono com estímulos curtos, a curto prazo, sabe? Como a prova já está bem perto, tenho treinado durante a semana na academia e aos sábados com a equipe Black Runners em diferentes lugares do Rio e por isso, decidi compartilhar aqui algumas dessas “academias naturais” e quem sabe, te motivar a explorar novos cantos da cidade, hein? Vem comigo! 😉

Correndo nas Paineiras
Esse na verdade nem foi o primeiro treino, fiz outros na pista da Praia de Botafogo e no Mirante dos Dois Irmãos no Leblon, que acreditem, não conhecia 😦 Mas pretendo voltar. Confesso que só me liguei de escrever sobre os treinos depois desse sábado (24/09) quando fomos lá para as Paineiras,  e por ter me surpreendido como está diferente, com uma super estrutura. Fazia muuuuuuito tempo que não ia e, definitivamente, é o meu lugar favorito para correr na cidade, até agora.

img_6014

Lembro que quando fui há uns 4 anos fiz o melhor treino da vida, debaixo de uma chuva torrencial, mas que só deu mais gás, e #vouconfessarque nem amo correr, sério, pratico porque é um exercício físico que te dá a possibilidade de conhecer lugares diferentes e fazer novas amizades. Acordar cedo é treva, ainda mais no finde.

img_6037

Pra chegar: fomos de carro pela Rua Alice, em Laranjeiras, passando por Santa Teresa, seguindo as placas que indicam Corcovado. As Paineiras – na verdade, Estrada do Redentor – ficam bem aos pés do Corcovado, uma das vias de acesso ao Cristo Redentor, dentro do Parque Nacional da Tijuca. 

Não fomos cedinho, subimos umas 09h30, assim, quando chegamos estava lotado de carros pois agora, diferentemente da época que fui, não pode mais estacionar lá em cima já que o acesso é restrito às vans que levam os turistas para o Corcovado. Então, quanto mais cedo chegar para estacionar o mais próximo possível sem perrengue, melhor. 😉

Novidades: (pelo menos pra mim, né?) Quando chegamos me surpreendi com a estrutura que montaram por lá. Antes só tinha uma construção gigante abandonada que agora é uma mega loja de lembrancinhas (aquelas bem baratinhas #sqn) e até uma área com exposição gratuita. Do lado de fora fizeram um super espaço com mesas, de um lado um barzinho e de outro uma loja de salgados e sucos. Ainda tem um restaurante para quem quiser almoçar.

Pra correr: estou falando correr pois fui lá pra isso, mas o local também é repleto de ciclistas, muitos deles, diga-se de passagem. Bem, a corrida em si, da primeira cancela (essa aí da foto) que fica bem pertinho desse bar e restaurante até a primeira cancela a diante dá um total de 8,6km de distância, ida e volta. Não tem erro. O caminho é super tranquilo, a ida tem uns trechos de subidas leves, nada surreal, e a volta mais descida e plano.

Correr em meio à natureza, com praticamente ninguém do seu lado é bonzão. O lugar é bem arborizado e por isso, bem fresco. Não se assuste, no meio do caminho pode ter um ou outro macaquinho, rs. Fiquei correndo por cerca de uma hora e nesse tempo, passou um carro de polícia monitorando. Mas, sério, esse primeiro trecho (entre uma cancela e outra) que fiquei, apesar de alguns momentos eu estar absolutamente sozinha, é bem tranquilo. O tempo todo passam ciclistas e outros corredores também. Não sei depois dessa segunda cancela, nunca fui pros lados de lá! Só falta uma marcação no chão de quilometragem, ia ser legal!

Mas, definitivamente, é o lugar que eu realmente sinto prazer correndo e quem não conhece, vale a pena ir experimentar 😉

Outras formas de como chegar às Paineiras:
Transporte Público: Pela zona sul pegar transportes que sigam para os bairros do Cosme Velho e Santa Tereza (Rua Almirante Alexandrino). De lá só é possível seguir de transporte particular, a pé ou de bicicleta.
Pela zona norte e oeste a opção é o Alto da Boa Vista (Rua Amado Nervo). De lá também só é possível seguir de transporte particular, a pé ou de bicicleta.

Transporte Particular: Pela zona sul os acessos são feitos pelos bairros Cosme Velho e Santa Tereza (Rua Almirante Alexandrino). Pela zona norte e oeste a opção é o Alto da Boa Vista (Rua Amado Nervo).

A Pé: Pela zona sul os acessos são feitos pelos bairros Cosme Velho e Santa Tereza (Rua Almirante Alexandrino). Pela zona norte e oeste a opção é o Alto da Boa Vista (Rua Amado Nervo).

Se animou em ir? Antes dá uma lidinha aqui no site do Parque Nacional da Tijuca que tem todas as dicas necessárias pro seu passeio ser só alegria 🙂

 

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s